em

Baterias de carros elétricos colocadas à prova pelo calor do verão

As altas temperaturas do verão têm um impacto significativo sobre o desempenho das baterias de íons de lítio em veículos elétricos, reduzindo sua autonomia. Esse fenômeno levanta questões sobre a adaptabilidade dessa tecnologia a condições climáticas extremas.

Maior sensibilidade a temperaturas extremas

Os veículos elétricos se estabeleceram como uma alternativa ecologicamente correta no mercado europeu de automóveis. No entanto, alguns aspectos técnicos, em especial a confiabilidade das baterias de íons de lítio e sua autonomia, continuam a suscitar dúvidas entre os motoristas. A chegada das primeiras ondas de calor do verão evidenciou um problema adicional relacionado a essas baterias.

Os carros elétricos são particularmente sensíveis a temperaturas extremas. Enquanto no inverno passado você viu imagens de veículos imobilizados em estradas europeias após episódios de geada, o calor é tão ou mais prejudicial a esses carros.

As baterias de íons de lítio apresentam um risco maior de inflamabilidade quando expostas a temperaturas muito altas. Além disso, a exposição prolongada a condições extremas pode levar a perda significativa de autonomia.

O impacto mensurável do calor na autonomia

Um estudo realizado por Mapa de calor destacou os efeitos práticos das altas temperaturas nas baterias de carros elétricos. É interessante observar que o frio extremo também não é benéfico para esses veículos.

Os primeiros efeitos sobre a autonomia são sentidos a 26°C, com uma redução de até 2,8%. Quando o mercúrio sobe para 32°C, a perda de autonomia chega a 5%. Em termos práticos, para um veículo com uma autonomia de 320 km, isso representa uma perda de 16 km a 32°C.

A situação piora rapidamente com o aumento da temperatura:

  • A 35°C, a perda de independência chega a 15%.
  • A 37°C, isso aumenta para 31% para manter uma temperatura interna de 21°C com ar condicionado.
Ler também :  o incrível motivo que vai chocar todos os fãs do ator

É importante observar que esses números são indicativos e podem variar dependendo de vários fatores, como o estado de saúde da bateria, o calor adicional gerado pela estrada ou a configuração do ar-condicionado.

O desafio do ar-condicionado

O sistema de ar condicionado desempenha um papel fundamental nesse problema. Quanto maior for a diferença entre as temperaturas externa e interna, maior será o esforço exigido do carro, o que tem um impacto direto na autonomia.

Paradoxalmente, o estudo mostra que a perda de autonomia é geralmente maior no inverno. Isso ocorre porque a diferença de temperatura entre o compartimento do passageiro e o exterior é geralmente maior no inverno (0°C fora e 21°C dentro) do que no verão (35°C fora e 21°C dentro).

Consequências de longo prazo para as baterias

Além do impacto imediato na autonomia, as altas temperaturas também podem acelerar a degradação dos componentes das baterias de íons de lítio. Diante dessa situação, os motoristas estão começando a adotar técnicas para prolongar a vida útil de suas baterias, como evitar carregá-las até 100% ou deixá-las descarregar completamente.

Alguns modelos parecem ser mais sensíveis a temperaturas extremas do que outros. O Volkswagen ID4 e o Ford Mustang Mach-E, por exemplo, registraram perdas de autonomia de até 30% em condições de inverno.

Rumo à adaptação tecnológica

Essas observações destacam a necessidade de os fabricantes de automóveis desenvolverem soluções para otimizar o desempenho das baterias de íon-lítio em diversas condições climáticas. Isso pode envolver o aprimoramento dos sistemas de gerenciamento térmico da bateria ou o desenvolvimento de novas tecnologias de armazenamento de energia que sejam menos sensíveis às variações de temperatura.

Enquanto aguardam esses avanços, os motoristas de veículos elétricos devem permanecer vigilantes e adaptar seu uso de acordo com as condições climáticas. O planejamento cuidadoso das viagens, levando em conta a possível perda de autonomia devido ao calor, é essencial, principalmente em viagens longas de verão.

Ler também :  Os 12 carros elétricos com as maiores baterias: autonomia em destaque

Apesar desses desafios, é importante lembrar que os veículos elétricos continuam a progredir rapidamente em termos de desempenho e autonomia. Os problemas associados a temperaturas extremas, embora reais, não questionam as vantagens ambientais e econômicas de longo prazo dessa tecnologia.

Escrito por Martim Lubianco

Sou Martim, um redator web especializado no universo dos carros esportivos e supercarros, combinando paixão por modelos clássicos com interesse por veículos de alta tecnologia. Fascinado pelo automobilismo e suas evoluções, dedico-me a explorar as últimas tendências, inovações tecnológicas e histórias fascinantes que movimentam esse setor.

Uma dica caseira para restaurar o brilho do estofamento do seu carro

Os carros e SUVs de três anos mais confiáveis, de acordo com um novo estudo