em

Por que você não deve carregar seu smartphone no carro

Os desenvolvimentos tecnológicos transformaram profundamente nossos veículos, equipando-os com funções cada vez mais avançadas. Hoje, a maioria dos modelos que saem da linha de produção é equipada com portas USB e sistemas de conexão sem fio para nossos dispositivos móveis. Mas essa crescente integração da tecnologia em nossos carros levanta questões sobre a melhor forma de usar nossos smartphones ao volante.

A importância dos smartphones nos veículos modernos

Os smartphones se tornaram companheiros indispensáveis nas viagens de carro. Eles nos permitem fazer e receber chamadas com total segurança graças aos sistemas viva-voz. A música pode ser transmitida diretamente de nossas listas de reprodução favoritas por meio de Bluetooth ou uma conexão com fio. Aplicativos de navegação, como o Google Maps, tornaram-se essenciais para otimizar nossas viagens e evitar engarrafamentos.

Os fabricantes de automóveis estão bem cientes dessa tendência e agora oferecem interfaces integradas para que possamos aproveitar ao máximo as funções de nossos smartphones. Alguns modelos topo de linha oferecem até mesmo sistemas de carregamento por indução, eliminando a necessidade de cabos volumosos.

Os riscos de carregar seu telefone no carro

Embora possa parecer prático recarregar seu smartphone enquanto você está em movimento, esse hábito não é isento de riscos para a saúde de nossos dispositivos. A maioria dos telefones atuais usa baterias de íons de lítio, uma tecnologia que tem suas vantagens, mas também algumas desvantagens.

Essas baterias são particularmente sensíveis a variações de temperatura. Não recomendamos que você as exponha a temperaturas acima de 40 °C ou abaixo de -10 °C. A recarga nessas condições extremas também pode ser prejudicial. Há risco de incêndio no caso de sobrecarga prolongada, pois o solvente orgânico nas células da bateria é altamente inflamável.

Você também deve ter em mente que as baterias de íons de lítio têm um número limitado de ciclos de carga. Quando esse número é atingido, sua capacidade diminui gradualmente, reduzindo a autonomia do dispositivo.

Problemas específicos das portas USB em carros

A maioria dos motoristas tem o hábito de conectar seus telefones nas portas USB do veículo assim que pegam a estrada. Essa prática, embora muito difundida, não é ideal para a vida útil da bateria de nossos smartphones.

As portas USB dos carros foram originalmente projetadas para tarefas de baixo consumo de energia, como a reprodução de música em MP3 players antigos. Elas não estão adaptadas aos requisitos de energia dos smartphones modernos. A amperagem fornecida por essas portas geralmente é menor do que a exigida por nossos dispositivos, que precisam de 2 a 3 amperes para um carregamento ideal.

Essa inadequação resulta em um carregamento muito lento, que pode ser tão prejudicial à bateria quanto um carregamento muito rápido. Ciclos de carregamento prolongados contribuem para a degradação prematura das células da bateria.

A importância do carregador e do cabo originais

Outro fator que muitas vezes é ignorado é o uso de carregadores e cabos não originais. Os smartphones são projetados para serem carregados com seus equipamentos originais, calibrados para fornecer a potência certa para a capacidade do carregador.

Infelizmente, muitos usuários recorrem a cabos de carregamento baratos para seus carros. Esses acessórios podem causar danos ao circuito interno do telefone. Além disso, eles nem sempre cortam a energia quando a carga é concluída, o que contribui para reduzir a vida útil da bateria.

Os limites do carregamento sem fio no carro

Os carregadores por indução incorporados em alguns veículos recentes parecem oferecer uma solução elegante para o problema dos cabos. Entretanto, essa tecnologia tem suas desvantagens para as baterias de íons de lítio.

O carregamento por indução exerce mais pressão sobre o telefone, gerando mais calor para o mesmo nível de carga. Um estudo da empresa OneZero mostrou que é preciso 47% mais energia para carregar totalmente um smartphone topo de linha por indução, em comparação com uma carga convencional com fio.
Esse aumento na produção de calor, se repetido com frequência, pode ter efeitos prejudiciais a longo prazo sobre a saúde da bateria.

Alternativas recomendadas

À luz dessas descobertas, fica claro que recarregar sistematicamente os telefones no carro não é a melhor opção para preservar a longevidade dos nossos dispositivos. O cabo conectado à porta USB do veículo acelera a degradação da bateria, enquanto os novos sistemas de indução também não são uma panaceia.
A solução mais sensata é esperar até que você chegue ao seu destino para recarregar o smartphone, usando o carregador e o cabo originais conectados a uma tomada elétrica. Para viagens longas em que a recarga é necessária, o uso de uma bateria externa de qualidade é uma alternativa interessante, evitando as desvantagens associadas aos sistemas de recarga a bordo do veículo.

Ao adotar essas práticas recomendadas, os usuários podem prolongar significativamente a vida útil do smartphone e otimizar seu desempenho a longo prazo.

Escrito por Martim Lubianco

Sou Martim, um redator web especializado no universo dos carros esportivos e supercarros, combinando paixão por modelos clássicos com interesse por veículos de alta tecnologia. Fascinado pelo automobilismo e suas evoluções, dedico-me a explorar as últimas tendências, inovações tecnológicas e histórias fascinantes que movimentam esse setor.

Nyobolt revoluciona o setor de carros elétricos com um protótipo ultraleve e ultrarrápido

Os 15 carros-conceito mais emblemáticos do século 21: quando a imaginação dos designers ultrapassa os limites